Soluções para essa crise de amor

Há uma variedade de modelos para o cuidado com os órfãos, crianças e adolescentes vulneráveis:

Fortalecer suas próprias famílias imediatas e famílias extensas

Reunificar crianças às suas próprias famílias

Formação de Igrejas e Comunidades “Amigas da Criança”

Apadrinhamento Afetivo

Acolhimento familiar

Adoção

Princípios  norteadores

Precisamos construir todas essas opções simultaneamente, para produzirmos uma variedade de opções de cuidados no âmbito familiar para as crianças de uma nação. Também precisamos explorar as opções de colocar crianças em famílias extensas, que sejam saudáveis, das quais elas podem ter sido separadas.
1
Instituições de acolhimento são necessárias em alguns contextos específicos como medidas emergenciais e temporais. Mas, de modo geral, são formas menos eficazes e, muitas vezes, mais prejudiciais de assistência a órfãos e crianças vulneráveis. Entendemos o uso dessas instalações como opções de atendimento de emergência para algumas crianças, mas não devemos considerá-las como instalações permanentes ideais para nenhuma criança. O lugar ideal e adequado às necessidades de uma criança sempre será uma família.
2
Se as crianças perderam suas próprias famílias e não houver esperança de reintegrá-las com essas famílias, a adoção deve ser o objetivo dos nossos esforços.
3
Promover iniciativas que alcencem os órgãos governamentais e os planos de gestão pública de cada nação em favor dos órfãos e vulneráveis. Programas de prevenção e intervenção são fundamentais, em todos os níveis, para a proteção das crianças e adolescentes em risco.
4